Crianças e Solidão, não combina pois não?

Finalmente! 😦 (e digo finalmente com tristeza….mas é que já comentei este tema com algumas pessoas e às vezes parece que me olham como se fosse do outro mundo).
Não era preciso um estudo da Unicef, mas assim fica “acreditado”. Não é apenas opinião de “mãe”. Olho para muitas crianças e, nos olhos, vejo isso. E nos olhos das crianças devemos ver alegria!!!!
Talvez, nesta época em que estamos a voltar aos “basics” fosse bom pensar que eles crescem, conosco ao lado ou não, crescem e desenrascam-se. Sempre! Mas será que é da melhor forma? Da forma mais feliz?
A UNICEF realizou uma pesquisa sobre o que significa qualidade de vida para as crianças, e pôde assim comprovar que o seu ponto de vista é muito diferente do dos adultos. Crianças de todo o mundo, entre os 8 e os 14 anos, deram uma lista do que consideram ser “viver bem”. Não incluem brinquedos caros, nem presentes ultra especiais, mas coisas muito simples:
  • Que os pais gritem menos e dialoguem mais
  • Que desliguem os seus telemóveis
  • Que os abracem mais
  • Que os coloquem menos tempo trancados nas escolas e mais tempo em atividades físicas COM ELES
  • Que as pessoas sorriam mais
  • Que não mudem de casa
para refletir…. 

Ópera na rua (num camião)….MARAVILHOSO! podem trazer a ideia para cá?

Em Roma, a Ópera voltou à rua. Para dar noites diferentes a quem não pode pagar bilhete para ir a um teatro, para criar novos públicos, para se voltar a dar a conhecer aos italianos. No século XIX todos os italianos contactavam com a Ópera, hoje em dia, apenas as classes mais altas vão aos teatros (como por aqui, certo??)

A Ópera veio à rua de camião, e é maravilhoso! Isto, também, é educar a população, e é nisto que se corta….logo, em primeiro lugar: na cultura!

Um belo projeto para ser replicado!

 

(podem ver o detalhe da notícia em:)

Fantastic Carpool

Mais um carpool karaoke que adorei!!!!!!!!!! Ed Sheran! Mas quando é que ele vem cá???? Pronto, eu sei que ele já veio mas na altura passou-me por completo. Adoro! e o James Corden está sempre bem! Bem disposto, bem afinado e bem penteadinho ahahhah

A não perder!

Para os pais de meninos

Porque nós encorajamos as nossas filhas a serem tudo o que quiserem, a lutarem contra estereótipos e a seguir os seus sonhos, mas pelos vistos (sou mãe apenas de meninas, mas também tenho esta sensação) com os rapazes isso não está a acontecer!

Para pensarem!

 

Nariz vermelho!

Para além de se comemorar hoje o Dia da Criança, convém lembrar que também hoje se comemora o dia do Nariz Vermelho! E quantas crianças estes Doutores Palhaços ajudam a sorrir!

Que pena que só me apercebi disto hoje 😦 havia tanta coisa que podia ter sido feita e sugerida e não foi :-((((((

Mas mesmo tendo passado o dia podemos ajudar SEMPRE!

São causas como estas que vale a pena apoiar, por pouco que seja! Se estas causas nos tocam normalmente, então depois de sermos mães….céus!

Podem ajudar fazendo um donativo pontual por Multibanco ou, se preferirem, através do NIB 0036 0310 9910 0011 4395 6.

Podem também ligar para o número 760 305 505 (a chamada tem um custo de 0,60€ + IVA).

A Operação Nariz Vermelho tem ainda uma loja online.

Para os empreendedores, é possível ajudar!!! A vossa empresa pode dar um contributo fundamental para assegurar a manutenção do programa de visitas semanais dos Doutores Palhaços a mais de 40 000 crianças hospitalizadas em Portugal. Sejam embaixadores DNV. Saibam mais em www.diadonarizvermelho.pt

As escolas podem ajudar!

O que é preciso é ajudar, por pouco que seja!

Rir é o melhor remédio, e estes Doutores têm uma causa muito nobre: fazer rir as crianças quando estas mais precisam!

Bem hajam!

img-nossos-dtr04.png

in love

passei por aqui só para vos dizer que estou in love  

♥ pelo “Amar pelos dois” dos manos Sobral. Não me canso, não me canso, não me canso! Pela sua simplicidade, cumplicidade, podia encher esta página de adjetivos. Mas tudo se resume a “ADORO” esta música e estes manos!!!!!!!!!!!

♥ e por uma loja que acabei de conhecer e que…..podiam-me deixar lá uma tarde a perder-me 🙂 espreitem só a NAFTALINA

No automatic alt text available.No automatic alt text available.

No automatic alt text available.

No automatic alt text available.

No automatic alt text available.

 

No automatic alt text available.

ADOROOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!!!

mom’s ♥♥

Quantas de nós não olhámos já com estranheza para uma foto nossa em fato de banho ou biquini, depois de sermos mamãs? Ás vezes o melhor é nem olhar, pensamos.

Duas fotógrafas  Aimee and Jenna Hobbs, todos os anos celebram a maternidade tirando fotos a mães e aos seus filhotes, sem preconceitos, sem o estigma “da mãe que voltou ao seu corpo normal após a gravidez”.

Elas foram apercebendo-se que mais e mais mães preferiam não participar nas fotos de familia, ou então quando faziam uma sessão, nunca escolhiam as fotos onde elas apareciam. Sentiram-se de coração partido quando se aperceberam disso e resolveram criar um projecto onde se celebrasse a beleza da maternindade (que uns/umas nunca conseguirão entender, infelizmente).

Podem ver o site do projeto aqui.

Não digo que as mães não se cuidem (com conta, peso e medida, é mesmo essencial e saudável) mas é normal não voltar ao corpinho esbelto antes de ser mãe, e orgulhem-se disso! Claro que há as que, genéticamente, conseguem voltar por mais filhos que tenham. Mas não é, de todo, a regra.

Cuidem-se, mimem-se sempre que puderem, saiam para correr, para andar, para se mexerem, e sintam-se bem! Ser mãe é o melhor do mundo não é? Então…..aproveitem!

Há coisas que não se explicam…

…ser mãe é uma delas!

Por mais que tentemos, por mais que seja visível aos olhos de todos, por mais que digamos todos os dias, várias vezes ao dia “amo-te, adoro-te!”….é tão pouco comparado com o sentimento, maior que o coração, que nasce naquele dia em que aquele ser pequenininho que esteve dentro de nós 9 meses, olha finalmente para nós. E aquele olhar, como aqueles olhares dos primeiros meses, não se esquecem. Só nos vêem a nós, só nos querem ver, só querem o nosso cheiro, a nossa voz, o nosso colo! E nós, de repente, passamos a ser a pessoa Mais Importante do Mundo para aquele ser minúsculo. 

E pronto….a partir daí não há volta a dar! Estás dentro da bolha que é o Amor incondicional. De ti para o teu bebé e do teu bebé para ti.

Quando achas que é impossível gostar mais, porque já sentes que aquilo até quase que dói, isso só agora começou! Vai crescer! Como vão crescer as birras, as teimosias, as dores de cabeça, o cansaço, mas como cresce na proporção do Amor….balanceia tudo!

Quando me perguntam o que sou, a primeira coisa que me vem à cabeça é “Mãe”, porque é neste papel que me sinto preenchida, é neste papel que senti aquele sentimento de missão. Adoro a minha profissão, adoro fazer muitas outras coisas, mas ser Mãe vem acima de qualquer coisa. 

8ba5902b6acf537f5c792f94bb836931

Às vezes estou tão cansada que dou por mim a dizer e a pensar coisas que todas as mães pensam e dizem, mas que rapidamente se arrependem. Mas nestes 11 anos cresci. Cresci tanto por dentro que me pergunto como era quando não era mãe. Aprendi que se mudarmos eles mudam também. De manhãs caóticas, de gritos e “despachem-se”, e fins de dia mais ou menos assim também,  passámos a ter manhãs calmas, felizes, mesmo quando o humor da mais nova não é o melhor a acordar 😉 e a conseguir ter fins de dia sem stress.

E isso devo-o a elas. Li, aprendi e cresci. Percebi que há coisas que não interessam nada, que há horas em que não estou para ninguém sem ser para a família,  Que o mindfullness faz milagres quando aplicado no dia a dia familiar (por mim ehhehe). Fui buscar muita inspiração a muito sítio mas a uma blogger em especial: a Rita Ferro Alvim, com o seu Socorro, sou mãe! e a um blog estrangeiro que adoro “The Hands Free Revolution”.

Porque ser mãe é o meu maior desafio, tento ler mas de uma forma crítica e perceber o que faz sentido para mim e para os meus. Ser mãe ou pai não é uma ciência. O que funciona com uns, não funciona com outros, por isso, na minha opinião, devemos dedicar algum tempo a pensar e a aprender sobre como fazer da melhor forma. O instinto maternal é, sem dúvida, algo inacto e que temos mesmo! Mas depois há aquelas dicas de outros que às vezes fazem milagres nos nossos dias! 

Comigo, há algumas que ajudam muito a um dia começar bem e continuar melhor:

  • deitar cedo, todos! (já estou a abusar hoje, e normalmente eu sou a “vampira” pois aproveito para trabalhar à noite, mas afecta, sem dúvida o humor e a energia no outro dia de manhã…acordo a pensar: hoje venho para a cama às 21!!!!)
  • Acordar bem mais cedo que elas. Com tempo para me vestir, preparar lanches, comer o pequeno almoço no silêncio (mudou tanto quando comecei a fazer isto!)
  • Abrir a persiana 5m antes da hora de levantar e dar beijinhos, beijinhos e deixá-las na ronha mais uns minutos :-)))
  • Facilitar…a vida delas e a minha. Se a mais nova está na moleza não desato aos gritos, como estou despachada, consigo sentar-me e dar rapidamente…pronto, ok….não devo, mas não acredito que com 10 ou 11 anos ela vá querer que lhe dê à boca. Fiz o mesmo com a irmã e está autónoma 🙂
  • A caminho da escola, se dá uma música gira, cantar com elas para acordar e irem bem dispostas
  • Tenho a felicidade imensa de conseguir, quase todos os dias, almoçar com elas em casa. Sem dúvida, uma raridade nos dias que correm, que exige uma correria da minha parte, mas que nos sabe tããããõ bem.

Confesso que o final do dia continua a ser a parte do dia mais complicada. Mesmo gostando de cozinhar, fazer jantar, banhos e afins, por vezes deixam-me à beira de um ataque de nervos. 

Mas no final, quando estão deitadinhas a ler, tudo acalma e sinto-me a mulher mais feliz do Mundo por as ter e por poder dar-lhes o meu Melhor! 

E é isso que eu quero que elas saibam! Que por elas dou o meu melhor e que estou sempre, sempre aqui para elas! mas que também falho, que às vezes também sou injusta, mas se achar que devo, peço desculpa 

95ba2e345e9c72a91054d0597f0bc199

p.s. O meu próximo desafio é ler e tentar aplicar a ideia de “slow living”….não tem nada a ver com perguiça 😉 Assim que souber mais e começar a praticar, dou notícias!

 

Antes de se atirar a 1ª pedra….

No meio de toda esta situação tão dramática custa-me imenso ver a maioria das pessoas com sete pedras apontadas à familia da menina que hoje morreu por causa do sarampo.

Como é possível pensar que esta familia, ao optar por não dar vacinas à filha, depois de aos 2 meses ter tido um choque anafilático, não ponderou, não se angustiou, não pediu por tudo que nada acontecesse?

Conseguem imaginar um choque anafilático num dos vossos filhos aos 2 meses, depois de terem levado uma vacina? “Os sintomas de um choque anafilático (uma reação alérgica muito grave) são bastante assustadores – dificuldade em respirar, inchaço na boca, olhos e nariz, suores intensos.” (http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2017-04-19-Mononucleose-complicou-estado-de-saude-da-jovem-que-morreu-com-sarampo)

Se calhar tomávamos a mesma decisão, com o coração nas mãos, pedindo que nada de mal acontecesse à nossa menina.

Normalmente, se não em 100% das vezes, quem opta por não vacinar tem uma razão para isso. E não é a ignorância. De todo! A maioria das pessoas são pais e mães que se questionam, que investigam, que tentam perceber o que estão a colocar no corpo dos filhos. E acreditem que se lermos muito ficamos com pouca vontade de avançar.

Tenho as minhas filhas vacinadas mas tenho a certeza de que os pais que optaram não vacinar os seus filhos não o fazem com o intuito de colocar a vida deles, e muito menos a de outros, em risco. Se tomam essa decisão com toda a certeza é porque têm razões. Podemos questionar, podemos não concordar mas não me parece que se ganhe alguma coisa em vir fazer ‘linchamentos’ na praça pública.

Dei todas as vacinas, ainda não dei a HPV, mas acreditem que me questiono. Porque razão as meninas aos 10 anos ‘têm ‘ que ser vacinadas contra o HPV? Em alguns meios isso talvez se justifique mas em muitos, quero acreditar que na maioria, isso não acontece.

Questionei a DGS sobre o assunto e fiquei a perceber que até aos 13 anos levam duas tomas, depois são três. Mas não é obrigatório dar a vacina aos 10 anos! Podem tomar até aos 18 (dentro do PNV).

Claro que vou vacinar, mas devemos questionar e não fazer porque sim…Claro que no Centro de saúde olham sempre de lado. …mas nós somos pais e devemos estar informados.
Por exemplo, uma coisa que me angustiava é darem 2 ou 3 vacinas de seguida. Com a mais velha, no início ainda o fizeram mas depois nunca mais deixei. Já sei que às vezes tenho uma cara menos simpática do outro lado, mas nós temos o direito de escolher. Ah, mas tem que voltar depois! Não faz mal. Eu volto! Se fizerem alguma reação depois de três vacinas, ou duas, nunca saberemos de onde veio, não é?

Isto é apenas a opinião de uma mãe que, como todas as outras, mesmo as que tomam a decisão perigosa de não vacinar, apenas tentamos fazer o melhor pelos nossos filhos. E isso implica informação, que não é, nem pouco mais ou menos, só a que os media divulgam

Não consigo imaginar a dor daquela familia….